Com enxaqueca, a cabeça sofre mais do que se imagina

A dor de cabeça incapacitante pode ser, infelizmente, só o começo das preocupações com o cérebro. A enxaqueca pode estar relacionada a transtornos de ansiedade e depressão. Leia e entenda.

Quanto mais se estuda a enxaqueca, mais fica claro o transtorno que ela traz para os pacientes. As graves dores de cabeça e todos os outros sintomas incapacitantes, já causam principalmente, um sentimento de impotência e frustração perante os desconfortos cotidianos.

E tem mais: de acordo com diversos estudos, há uma relação dessa doença neurológica com quadros psiquiátricos, especialmente distúrbios de ansiedade e depressão. Como resultado, esta última tem sido apontada em estudo inclusive como o principal fator relacionado à enxaqueca1.

Segundo outra pesquisa científica, essa relação é de mão dupla. Ou seja, comparando-se com a população sem a doença, quem tem enxaqueca tem mais probabilidade de ter transtornos de ansiedade e depressão, e quem tem depressão ou transtorno de ansiedade também tem mais probabilidade de desenvolver cefaleia2.

A mesma pesquisa compara pacientes sem aura e com aura, e mostra que pacientes com aura têm chance 1,5 vez maior de desenvolver depressão, 1,8 vez maior de desenvolver ansiedade e 1,7 vez maior de desenvolver ansiedade e depressão associadas2.

Quanto à depressão, outro estudo mostra que jovens adultos com enxaqueca e dor de cabeça incapacitante são mais suscetíveis à relação entre as duas doenças3, e apontam a necessidade de considerar uma terapia que avalie a comorbidade psiquiátrica para a maior eficácia do tratamento.

Aliás, a indicação acima serve para todos os casos. Converse com seu médico sobre qualquer suspeita, para que ele indique, se necessário, consultas a outros especialistas. Assim, juntos eles podem indicar o melhor tratamento para você e para o seu bem-estar.

 

Referências bibliográficas:

  1. Ramos, Paula de Siqueira, Costa, João Gabriel Gamez Borges da, Mancini, Rian Avelino, Gomez, Rodrigo Santiago, Teixeira, Antonio Lúcio, & Barbosa, Izabela Guimarães. (2015). Associação de sintomas depressivos e ansiosos com gravidade da migrâneaJornal Brasileiro de Psiquiatria64(2), 93-99.
  2. Albuquerque AV, Albuquerque LHM, Moreira Filho PF. Ansiedade e Depressão em Pacientes Migranosos. Revista Neurociências21(1), 7-8.
  3. FALAVIGNA, Asdrubal et al. Association between primary headaches and depression in young adults in southern Brazil.Rev. Assoc. Med. Bras., São Paulo, v. 59, n. 6, p. 589-593, Dec. 2013. Access on 04 Sept. 2020.
Outros Artigos

receba nossas atualizações